Entrevista Pr. Luis Lima

 O pastor Luis Lima  chegou  á Igreja quando tinha 12 anos , e já vivia uma vida completamente destruída , sofria muito com os problemas que enfrentava.

Hoje, casado há cinco anos, e pastor da Igreja Universal, fala um pouco sobre sua juventude e o que acha sobre o trabalho que o FJ realiza em todo o mundo.

VPR: Como era a sua vida antes de conhecer o Senhor Jesus?

Pr. Luis: Com oito anos de idade eu já era viciado, já bebia, e devido a minha família ser toda de traficantes, eu já saia para roubar. Além disso, todos os que faziam parte desta família, com sobrenome de nascimento, eram oferecidos aos encostos.

VPR: Como o senhor “curtia” a sua juventude?  Isso o fazia feliz? Por quê?

Pr. Luis: Feliz não era! Por que eu gostava de curtir não por mim, mas ia ao embalo dos outros, ou seja, roubava por diversão. Eu ia para a feira, para as praças bater carteira… Esse tipo de coisa. E me sentia muito prepotente por conta disto.

VPR: Qual era o seu principal problema nessa época?

Pr. Luis: era familiar, porque, como eu já disse devido aos encostos todos se apossaram de minha família. Era um inferno dentro de casa por isso que roubava, meu prazer era de estar na rua fazendo isso, por que dentro de casa existiam brigas, prostituição por parte da minha mãe, traição […].

VPR: Como o senhor chegou a Igreja Universal? Qual a sua idade? Qual foi a primeira impressão ao participar de uma reunião na IURD?

Pr. Luis: Eu cheguei à igreja com mais ou menos 10 a 12 anos, e foi impactante, pois na primeira reunião em que participei foi a de sexta-feira, aonde vir o poder de Deus, e logo depois (Sábado) foi à reunião do grupo jovem, que, diga-se de passagem, gostei muito, foi o que fez realmente me firmar na IURD, pois gostei muito da animação do grupo jovem.

VPR: E como foi a experiência?

Pr. Luis: Foi uma coisa muito diferente das igrejas tradicionais, até porque nessas igrejas não havia aquela comunicação e união que encontrei no grupo jovem naquela época.

VPR: Como foi a decisão de entregar a sua vida a Jesus?

Pr. Luis: Decidi entregar a minha vida a Jesus, numa pregação onde se falava a cerca do reino dos céus e do inferno, foi um dia em que se falou fortemente a respeito do livro de Apocalipse, foi aonde vi à necessidade de aceitar como meu Senhor e Salvador.

VPR: Como aconteceu a decisão de servir a Deus no altar?

Pr. Luis: Eu via o trabalho dos pastores da IURD o seu desempenho para com as pessoas, de liberta-las, de cura-las e abençoa-las, assim nasceu esse desejo dentro de mim, de fazer aquilo de saber que eu poderia ter aquela autoridade que eles tinham.

VPR: Hoje, como o senhor acha que um jovem deve conviver com seus pais?

Pr. Luis: O fundamental em primeiro lugar é a obediência, que foi uma coisa que eu aprendi no grupo jovem, sobre o respeito. Que e uma coisa que o FJ ensina muito, que ate faz parte do mandamento, honra pai e mãe, foi através desse ensinamento do grupo jovem que eu conseguir ganhar meus pais para Jesus. Pois de rebelde e agressivo deixei tudo isso e passei a agradar aos meus pais como se estivesse agradando a Deus. Esse tem que ser o procedimento dos jovens em relação aos pais.

VPR: O senhor acredita que os projetos que o FJ realiza incentivando e proporcionando o esporte, atividades culturais, ações sociais, cursos, contribuem com a evangelização da juventude brasileira? Por quê?

Pr. Luis: É muito bom, pois quebra a tradição da religião, por exemplo, hoje em dia qual é o jovem que não gosta de futebol? Qual jovem que não gosta de teatro e dança? E antigamente muito jovens não se convertiam devido achar que quando se convertesse ao evangelho deixariam de jogar futebol, de fazer o curso de dança e etc. É uma coisa que vem trazendo muitos jovens de diferentes classes sócias. Os eventos que o FJ realiza interagem com os jovens onde ficam mais próximos.

VPR: Qual é o conselho que o senhor dar aos jovens que fazem parte da IURD e não ingressaram na FJ e aqueles que já fazem parte desse grupo?

Pr. Luis: O que eu tenho a dizer é uma coisa que eu aprendi há muito anos atrás,  que o jovem é a força da igreja, se ele embora esteja na igreja e não tenha contato com o FJ ele acaba de desconhecer a força que tem que é um instrumento muito grande para que Deus venha usa-los ganhando muito jovens para Jesus, e aos que estão firmes, por exemplo, eu estou aqui por conta de alguém de me ganhou, se aquele jovem  a 12 anos atrás não lutasse por mim persistisse me convidando e etc… Hoje com certeza não estaria aqui, mas teve alguém que lutou por mim, que eu creio que é o que esse jovem deve fazer.

 
 
 
 
 
 
 
Colaboração: Laíza Belo e Ana Paula Silva
Colaboração: VPR Paar 1
Publicado por: VPR Curuçambá
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s